imagemO Ebola está em pauta no site da Nantú Consultoria e achamos que é nosso dever informar a todos de uma forma simples do que se trata a tão temida doença.

É uma enfermidade causada por um vírus com uma capacidade imensa de matar o ser humano: mais de 90% das pessoas que contraem a doença morrem.

Em 1976, o vírus Ebola surgiu pela primeira vez no Sudão e na República Dominicana em uma região próxima ao rio Ebola, daí o nome da doença.

Os morcegos que se alimentam de frutas são considerados hospedeiros naturais do vírus Ebola. Existem cinco tipos do vírus Ebola, sendo que quatro dessas cinco cepas (tipo de vírus) causam infecção nos seres humanos.

A doença pode ser passada de pessoa para pessoa ou de animais para pessoas, por meio de sangue e secreções do corpo humano.

Os animais de que temos relato de serem transmissores são: morcegos frutíferos, chimpanzés, gorilas, macacos, porcos-espinhos e alguns antílopes que já estejam contaminados.

Nos enterros, os caixões devem ser lacrados, pois mesmo após a morte, pode haver a transmissão do vírus.

Se o ser humano sobreviver à doença, o vírus ficará, por exemplo, no sêmen do homem por até 7 semanas. Vejam que é uma doença com alto grau de contaminação.

Os principais sintomas da doença são: febre de início repentino, fraqueza, dor muscular, dores de cabeça e garganta inflamada.

Logo a seguir começam a surgir os vômitos, diarreias, coceiras, e os rins e fígado começam a entrar em falência. Em alguns casos as hemorragias internas e externas aparecem nessa fase.

Algumas pessoas apresentam também erupções na pele, olhos avermelhados, soluços, dores no peito e dificuldade para engolir e respirar.

Esses sintomas podem aparecer de 2 a 21 dias após a pessoa ter sido exposta ao vírus.

O diagnóstico é difícil de ser feito. Logo nos primeiros sintomas, os testes laboratoriais é que confirmarão definitivamente se a pessoa está ou não com um dos quatro tipos do vírus do Ebola.

Ainda não há um tratamento específico para o Ebola, e também não há vacina.

O cuidado consiste em manter a pessoa hidratada, com níveis de pressão arterial e oxigênio estabilizados, e ir cuidando das infecções oportunistas que possam aparecer.

Todos os profissionais que cuidarão dessa pessoa portadora da doença devem estar completamente protegidos com as devidas vestimentas e equipamentos específicos para não contraírem a enfermidade, pois há um alto índice de contaminação de médicos, enfermeiros e da equipe que presta cuidados ao paciente adoecido.

O fim de um surto de Ebola só pode ser declarado oficialmente terminado após 42 dias sem nenhum novo caso confirmado no local.

Qual o medo mundial?

Que pessoas infectadas, que ainda não desenvolveram os sintomas, viajem e espalhem a doença mundo afora!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + 2 =