saude-e-viagem-modelo-de-imagem

Mês de junho e julho, férias chegando. A diversão pode virar chateação. Atenção!

Já pensaram nos cuidados que devem ser tomados tanto para quem vai se divertir no clima frio, quanto no clima quente?

Clima frio. Vamos lá:

Pessoas que viajarão para lugares frios podem sofrer com as baixas temperaturas, associadas às altitudes elevadas, como nas estações de esqui ou ainda com a baixa umidade do ar.

As baixas temperaturas provocam um fenômeno chamado vasoconstrição, ou seja, uma contração nos vasos sanguíneos (capilares), evitando assim a perda de calor e mantendo a temperatura corporal estável. Esse é um processo que o nosso corpo usa para nos defender, super inteligente, não?

Porém, a falta de roupas e proteções adequadas para as baixas temperaturas, pode fazer com que uma parte dos vasos sanguíneos (os capilares) congelem e formem “machucados” na pele causados pelo frio (ulcerações pelo frio).

Esses “machucados” costumam acontecer com maior frequência em extremidades: nariz, orelhas e dedos dos pés e das mãos.

Os sintomas começam a surgir na seguinte ordem: sensação de pele fria, formigamento ou queimação e na pior das hipóteses começam a aparecer bolhas. Se não tomarmos cuidado, podemos perder os “pedacinhos” congelados, pois eles necrosam, ou seja, morrem. Já pensaram em perder um dedo, a ponta de uma orelha? Não, não e não.

Primeiros Socorros

• Procure um abrigo aquecido, ou seja, se estiver esquiando, entre no primeiro restaurante que achar.

• Remova anéis, relógios, pulseiras ou qualquer objeto que possa diminuir o fluxo de sangue para a área que já está afetada.

• Se houver água aquecida (o ideal é que sinta no seu ante braço se a temperatura está agradável), deixe a parte acometida por 20 a 40 minutos em imersão, ou aplique-a com um tecido umedecido, mas CUIDADO para não causar uma queimadura!

• Se não houver água aquecida, coloque a parte afetada sob as axilas ou virilhas de alguém que esteja junto com você, isso pode ajudar a reduzir a lesão final. As axilas e as virilhas “guardam” mais calor e poderão aquecer melhor o local afetado.

• Tire fotos do “machucado” desde o começo do tratamento. Isso pode ajudar os médicos a entender depois como ela evoluiu. Importante para um diagnóstico médico.

• Siga para um pronto socorro para avaliação do quadro geral.

Dicas úteis:

Programe sempre o tempo que ficará exposto ao tempo “frio”, não saia sem este controle, pois você pode colocar a diversão da família em risco e acabar com as férias. Se tiver com crianças, o tempo deve ser diminuído pela metade.
Muito cuidado!

Uma dica importante é levar líquidos quentes: chás, leite com chocolate e afins para manter o metabolismo do corpo acelerado, mantendo assim a temperatura corporal ”a todo vapor”.

Usar vestimentas adequadas é fundamental, parece besteira abordar esse assunto, mas lá vai: luvas, gorros, máscaras, óculos PRÓPRIOS para baixas temperaturas são fundamentais, pois são confeccionados de tecidos que aguentam mais o frio e retém mais o calor do corpo.

Clima quente. Vamos lá:

Quando nos expomos ao sol e a altas temperaturas, corremos o risco de desenvolver um episódio de desidratação ou insolação. Esse risco é maior nas praias, nas florestas, mas está presente também em desertos, ambientes secos e com temperaturas muito elevadas durante o dia.

Esses destinos são exemplos de alguns roteiros de férias no mês de junho e julho.

Lembrem-se das nossas crianças!

No calor e quando praticamos atividade física, transpiramos mais para manter a temperatura corporal estável, é aí que mora o perigo. A desidratação se instala quando a quantidade relativa de água no corpo se torna insuficiente, atenção!

As crianças não gostam muito de beber água, logo ofereça sucos, água de coco e outros líquidos que eles gostem.

Os sintomas iniciais de desidratação são cansaço e dor de cabeça. À medida que a desidratação progride, sentimos sede. Depois podem aparecer tonturas, enjôo e muito suor. Atenção a evolução dos sinais!!!

Outro problema no calor é a insolação. A pessoa perde a capacidade de resfriar o corpo, a temperatura corporal aumenta e ela para de suar (sinal de alerta). Simultaneamente, ocorre a alteração da consciência (a pessoa pode ficar sonolenta) e do comportamento (confusão). Nessa situação, todos os órgãos podem entrar em sofrimento, especialmente o cérebro, os rins e o coração. ALERTA MÁXIMO!!!

ATENÇÃO: A insolação é resultado do aumento de temperatura e não necessariamente da exposição ao sol; portanto, o uso de protetor solar não impede seu aparecimento.

As queimaduras solares são preocupante, pois podem levar a desidratação e são ardidas e doloridas, logo se exponha ao sol somente antes das 10 horas e após as 16. Aplique o protetor solar meia hora antes da exposição ao sol. Depois, aplique novamente a cada duas horas ou sempre que suar ou entrar na água. O fator de proteção solar mínimo deve ser o fator 30. Óculos e chapéu também ajudam a se proteger. Dicas que farão da suas férias, uma diversão e não uma tormenta.

Como prevenir?

Sempre que estivermos expostos ao calor e ao sol, devemos nos hidratar com regularidade e frequência, ou seja, ingerir muito líquido.

Crianças, idosos ou pessoas com dificuldade de comunicação merecem atenção especial, porque podem não expressar adequadamente a sensação de sede ou calor. Fiquem atentos!

Além disso, proteger-se sob uma sombra natural ou guarda-sol. Se possível, deve-se evitar exposição ao sol nos horários de maior temperatura (entre 10 e 16 horas). Recomenda-se também não realizar atividades físicas nesse período.

Primeiros Socorros

• Nos casos de desidratação o tratamento mais eficaz, é obviamente, hidratar-se. Não é preciso oferecer grandes quantidades de líquido de uma vez – pequenas quantidades em intervalos menores de tempo podem ser mais fáceis de administrar. Não há preferência quanto ao tipo de bebida, desde que não contenha álcool. Água filtrada ajuda bastante nesses casos.

• Nos episódios de insolação, o importante é resfriar o corpo. Tire a pessoa do sol e calor e ofereça-lhe líquidos frescos, não gelados. Faça-a descansar e providencie uma banheira com água fria (não gelada) para ajudar no resfriamento.

• Em ambos os casos se não for suficiente essas medidas, levar ao pronto socorro.

Férias com prevenção é diversão garantida! Não esqueçam das crianças, atenção dobrada,. A responsabilidade do bem-estar deles é nossa. Uma excelente diversão a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × dois =