siiSeu filho já apresentou dor na barriga, desconforto quando vai evacuar e também mudou seus hábitos de ir ao banheiro?
Todos os pais devem ficar atentos, pois há uma doença muito frequente nas crianças e nos adolescents, que causa esses sintomas, a Síndrome do Intestino Irritável.

As causas dessa doença são várias, porém ainda não muito esclarecidas.

Sabe-se que para que a síndrome seja desencadeada, pode haver estímulos de ordem orgânica, funcional, psicológica, inflamatória e infecciosa, desencadeando assim uma hiperatividade motora intestinal, causando dor e desconforto.

Há a diarréia crônica inespecífica, ou seja, colon irritável na criança (parte do intestino), que aparece entre 6 meses a 5 anos, com sintomas persistentes e recorrentes.

A frequência das evacuações são aumentadas em relação ao padrão normal para a idade, as fezes são mais amolecidas geralmente pela manhã e após as refeições.

As fezes tem aspécto variável, podem ser claras ou coloridas, com cheiro forte ou sem cheiro, mas geralmente com restos de alimentos. Podem conter também muco (espécie de “geleca”) e “areia” (grãos de amido que não são digeridos).

07_01

Deve-se ficar atento a possíveis infecções agudas que podem se instalar após um grande período de diarréia.
Quais as orientações a serem seguidas no dia a dia?

– seguir as orientações do pediatra sempre;
– anote cada evacuação (cor, odor, aspécto e horário) da criança portadora da síndrome, pois assim facilitará o médico a identificar possíveis agravantes;
– estar atento a flatulência (“gases”), pois geram muitas dores;
– estar atento a hidração da criança principalmente no período de diarréia, pois há risco de desidratação;
– identificar precocemente os sinais de complicação e levar ao médico;

A maioria das crianças com síndrome do intestino irritável continuam a crescer e se desenvolver normalmente. No entanto, algumas crianças podem comer menos para evitar a dor que pode acompanhar a digestão e, portanto, perder peso.

Algumas crianças ficam constrangidas de estar em público, na escola, festinhas, etc, pois podem ter urgência para ir ao banheiro e não conseguirem segurar e virarem alvo de “risadas maldosas”.

O objetivo principal do tratamento é restaurar a função intestinal diária normal. Isto dará a criança a confiança que ela não tem qualquer doença que tenha risco de vida e que tudo ficará bem.

Modificação ambiental é importante para identificar as tensões em torno da criança e revertê-las. Pais e professores devem apoiar a criança ao invés de se concentrar na dor. Tentar mudar o foco para algo divertido ou agradável durante um episódio doloroso.

O desconforto é real, mas pode ser contornado com conhecimento da doença, paciência, carinho e muito amor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − 3 =