boca a bocaA necessidade de conhecimento de como lidar com as situações de urgência e emergência, seja em nossas casas, na rua, no trabalho ou na escola, requer o mínimo de treinamento.

Nunca sabemos quando algo grave pode acontecer, e a importância de se conhecer o básico a ser feito pode ser decisivo na vida de uma pessoa.

Em nossos cursos, frequentemente temos nos deparado com alguns questionamentos: Será que vou saber fazer? Será que vou me lembrar? Será que vou conseguir tomar alguma atitude?

Sabemos o quanto é difícil ter “pernas e mãos” para saber lidar com as situações de perigo, e em especial quando trata-se de algum membro de nossa família, entretanto, quando temos conhecimento do que fazer, tudo se torna mais fácil….

Com os últimos acontecimentos apresentados na mídia, várias dúvidas surgiram sobre qual o melhor a se fazer, e dentre estes, o procedimento derespiração boca a boca.

Afinal de contas, o que dever ser feito?

1) A respiração boca a boca é a introdução de uma quantidade de ar através da boca de outra pessoa, com a finalidade de se levar oxigênio para aquele que, por alguma circunstância, não consegue respirar sozinho;
2) Através da respiração boca a boca é possível a introdução de cerca de 20% apenas de oxigênio, levando-se em consideração a técnica correta, a presença ou não de algum objeto que esteja obstruindo a passagem de ar, e o posicionamento da cabeça da vítima;
3) Por ser um procedimento que requer algum conhecimento e habilidade para fazê-lo, vários estudos aboliram a respiração boca a boca feita por pessoa leiga, pois o tempo que se perde, a técnica incorreta e a presença de outros fatores impeditivos para o procedimento podem agravar o estado de saúde da vítima ou torná-lo ineficiente;
4) Quando ocorre a parada da respiração por presença de alimento ou objeto que esteja obstruindo a passagem do ar, não é indicada a respiração boca a boca, pois existe o risco de se introduzir ainda mais o agente obstrutivo, podendo levá-lo até mesmo ao pulmão;
5) A respiração boca a boca é indicada, dentre outras, em situações onde não haja a obstrução das vias aéreas, mas por exemplo, naquelas onde há uma parada da respiração secundária a outros motivos, como doenças pulmonares ou malformações;
6) O risco de transmissão de doenças na respiração boca a boca é um fator preocupante, em especial, quando feito em pessoas desconhecidas, e para tanto, o ideal é que se utilize um material de proteção que ofereça segurança, tanto a quem faz como a quem recebe o oxigênio;

Concluímos este texto alertando a todos sobre a necessidade iminente de realização por TODAS AS PESSOAS de um curso de Primeiros Socorros, incluindo adultos e crianças. É o momento onde você poderá tirar suas dúvidas, treinar a prática dos procedimentos e aprender os diferenciais do que fazer em cada situação.

Temos visto inúmeros cursos de primeiros socorros sendo ofertados, entretanto, a maior parte deles, tem uma linguagem de difícil compreensão para aqueles que não são da área da saúde, e não possuem flexibilidade de datas, horários e locais.

Pensando nisso, e utilizando uma linguagem de fácil acesso, tanto para adultos como para crianças, é que a Nantu oferece o curso de Primeiros Socorros para Leigos (www.nantuconsultoria.com.br), totalmente personalizado e adaptado á sua necessidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + dezesseis =