raios-nantu-consultoriaEstamos passando por uma época em que ocorrem as chamadas “chuvas de verão”, que muitas vezes aparecem com raios, trovões e, como consequência, temos muitos alagamentos.

Os raios são assustadores, pois muito se fala e pouco de fato se sabe o quão perigosos são.

Um raio é uma corrente elétrica unidirecional de aproximadamente 30 milhões de volts. Equilave, mais ou menos, a mil vezes a intensidade de um chuveiro elétrico. Logo, hoje venho desfazer alguns mitos sobre esse “monstro”, pois há algumas prevenções que podemos tomar para não nos tornarmos vítimas dele.

Nem todo acidente por raio é fatal, apenas 5 a 10 % são fatais. A maior causa de morte por raio não se dá por queimaduras como muita gente pensa, mas pela parada cardiorrespiratória, ou seja, quando o coração e os pulmões param de funcionar.

Logo, as vítimas atingidas por raios e que apresentem parada cardiorrespiratória devem receber o socorro correto e imediato, a massagem cardíaca de forma correta deve ser iniciada o mais rápido possível. É MITO que a pessoa continua com a carga elétrica nela e, portanto, ninguém pode tocá-la para não “levar choque”. A corrente elétrica se dissipa no solo. Podem e devem socorrer a vítima!

Cada minuto é importante em um socorro de parada cardio-respiratória, portanto aqui vai uma pergunta: você sabe socorrer uma pessoa, um ente querido, nessa situação?

Vamos falar mais sobre alguns mitos: não é necessário estar chovendo para ser atingido por um raio. Os períodos pré e pós-tempestades, talvez sejam os mais perigosos, pois os raios viajam em uma velocidade muito rápida. Fiquem atentos!
Ter metais no corpo ou portar celulares e guarda-chuvas, por exemplo, não vai atrair mais raios, o que pode ocorrer é que, se a pessoa for atingida por um raio e estiver com aparelho de metal, terá maior chance de ser queimada pelo aumento da temperatura do objeto.

A frase “um raio não cai duas vezes em um mesmo lugar” é mito, pois pode cair sim.

Agora, os riscos de sermos atingidos por raios aumentam se estivermos em espaços abertos, como campos de futebol, praias, piscinas, etc. E quanto mais alto for o lugar, mais risco se corre. Atenção!
A água é um ótimo condutor de eletricidade, logo nada de nadar na chuva!

Caso você seja pego de surpresa por uma tempestade e esteja em local descampado, aberto, procure se abrigar em construções fechadas, pois as construções que não tenham janelas ou portas (sacada, varanda, deque, etc.) não são seguras, por mais estranho que isso possa parecer.

Evite ficar perto de carros, motos, tratores e bicicletas durante tempestades, pois raios adoram esses tipos de veículos.

Caso não haja outro lugar para se abrigar, somente um automóvel, pode se abrigar dentro dele, mas não encoste na lataria até a tempestade passar.

Caso não houver nenhum abrigo perto, nunca deite no chão. Agache, junte os pés e fique na posição mais baixa que conseguir, mas de forma que o ar consiga circular entre seu corpo, braços e pernas. Posição de agachamento com as mãos unidas.

Lembre-se de sempre ver a previsão do tempo antes de sair para um brincadeira ou passeio longe ou em local descampado.

A prevenção é nossa aliada em tudo. Saibam que, se ao escutarmos um trovão, tomarmos as medidas de precaução, 80% das mortes por raio poderão ser evitadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × três =