emergencia-modelo-de-imagem-quadradaEm muitos cursos que ministramos, onde abordamos sobre a necessidade de SEMPRE chamar por ajuda, é frequente a dúvida das pessoas: mas quem chamar se alguém passa mal? E se for um acidente de carro, para quem eu ligo? Qual é o telefone?

Primeiramente, precisamos deixar claro aqui o mais importante de todas as orientações: SEMPRE CHAMAR AJUDA. Não tente, em hipótese alguma, resolver algo sozinho.

Existem alguns motivos para isso:

1) é real o ditado: duas cabeças sempre pensam melhor que uma;
2) precisamos de ajuda para o contato com algum parente ou serviço de emergência, pois enquanto um “cuida” e presta os primeiros socorros, o outro faz o contato telefônico;
3) em algumas situações e em algumas manobras, é quase impossível “darmos conta” de todo o atendimento sozinhos, seja pelo cansaço, seja pelo desgaste emocional do momento.

Pessoas próximas, e que muitas vezes podem parecer “invisíveis”, em diversas situações são essenciais na hora do sufoco. Mesmo que não haja ninguém em casa, tente ao redor. São elas: porteiros, seguranças, vizinhos, faxineiros, vigias…..temos conhecimento de várias situações em que foram estas pessoas “menos prováveis” que salvaram vidas!

Outra dica importante é deixar sempre os números de emergência ou para quem ligar á vista de todos, em especial de crianças, e deixar, caso seja possível em seu aparelho de telefone, a tecla dial com estes números gravados.

Crianças, empregados, cuidadores, parentes, enfim, todos devem ser orientados sobre sempre chamar nas situações de urgência, e ter estes números à mãos.

Porém, aí vai a dúvida: a quem chamamos então nas emergências?

1) Se, na situação ocorrida não houver nenhum perigo que envolva aquele que está prestando o socorro, sempre chame o Serviço de Atendimento Médico de Urgências – SAMU.

O SAMU é um serviço público e altamente eficaz, referência para o atendimento às emergências. Situações de urgência e emergência ocorridas fora do hospital são somente atendidas por este serviço ou por outras empresas particulares de ambulância, e que, não possuem vínculo com hospitais. Por exemplo, mesmo você tendo convênio ou preferência por um ou outro hospital, no momento de atendimento fora deste local, as ambulâncias destes serviços não podem atendê-lo, mas apenas realizar a transferência entre hospitais.

Portanto, o SAMU deve sempre ser chamado nas situações em que a pessoa: estiver inconsciente, não estiver respirando ou respirar com muita dificuldade, não tiver batimento cardíaco; tiver sofrido uma queda importante e com dor (especialmente se idoso); tiver sofrido um acidente na rua, principalmente que tenha envolvido motos ou carros, porém, sem enclausuramento. Outras situações também podem requerer o chamado ao SAMU, como sintomas de infarto (fortes dores no peito ou ombro com alteração da pressão arterial e com dificuldade de respirar ou falar), acidente vascular cerebral (alterações na fala, consciência, posicionamento da boca e “queda” de uma parte da face) dentre outros.

O número do SAMU é simples e deve ser memorizado por todos: 192.

2) Nas situações em que houver perigo à quem presta o socorro ou o enclausuramento da vítima (por exemplo, estar preso nas ferragens), a ajuda a ser chamada é para os bombeiros.

Portanto, se houver fogo; alguém preso nas ferragens de um automóvel; alguém que está se afogando no mar ou rio; que tenha caído ou desaparecido em alguns destes locais ou em uma cachoeira, estação de esqui ou em algum tipo de esporte radical, chamar os bombeiros. Estes profissionais possuem, além do conhecimento de primeiros socorros, as técnicas e materiais necessários aos acidentes e resgate nestas situações.

O número do BOMBEIRO é o 193.

Lembre-se: o importante é ficar atento, ter um conhecimento básico de primeiros socorros, e NUNCA tentar resolver uma situação de perigo sozinho! Tome nota destes números e divulgue para o máximo de pessoas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 2 =