imagem

O assunto hoje costuma preocupar muito os pais e mães: o sono das crianças!

Para muitas mães e pais a hora de dormir representa um momento de desgaste, pois muitas crianças têm dificuldade para desfrutar de uma noite de sono completa e restauradora. Porém é importante saber que alguns distúrbios do sono em crianças são normais no período chamado de primeira infância e passam naturalmente com o tempo.

O questionamento é o mesmo na maioria das famílias: será que meu filho dorme bem?

É importante dizer que várias são as técnicas, livros e “correntes” lançadas no mercado, mas NÃO existe uma fórmula mágica, pois cada criança é um ser único com suas características e necessidades, e nunca podemos deixar de lembrar que estão em constante amadurecimento.

Não existem gotas ou fórmulas milagrosas!

O sono é uma função vital, pois tal como não se pode sobreviver sem respirar, também não se pode viver sem dormir. Desempenha um papel fundamental, mesmo antes de bebê nascer, pois garante a recuperação física e psíquica de todos nós.

O sono constrói-se nos primeiros meses de vida e aprende-se progressivamente ao longo do desenvolvimento da criança. Faz parte do fator de crescimento e de aprendizagem, é o reflexo de equilíbrio global, condutor da segurança afetiva e relacional da criança e pode ser um indicador relevante do seu desenvolvimento, maturação e estado de saúde.

Não é à toa que os nossos antepassados diziam: “Enquanto se dorme se cresce”

A estrutura do sono adulto é composta por quatro fases distintas. A 1ª e a 2ª são fases de sono leve, a 3ª e a 4ª são as fases do sono profundo (restaurador), seguido do sono REM (sigla em inglês, que significa rápido movimento dos olhos) na qual as pessoas sonham. Quando falamos de bebês/crianças, essas fases ainda estão desorganizadas, pois passam por um processo de maturação. Essa maturidade do sono acontece por volta dos quatro anos de idade. Após essa idade, a tendência é que o sono já esteja bem organizado, mas alguns distúrbios de sono ainda são esperados até a fase da adolescência.

Tanto os adultos como as crianças acordam várias vezes durante a noite como parte natural do sono.

No caso dos bebês, existem algumas circunstâncias que podem fazer com que se mantenham acordados por mais tempo, como no caso das cólicas, fome, mudança de fralda, frio ou porque simplesmente estão doentes. Quando essas necessidades são satisfeitas, o bebê volta a adormecer. No entanto, se o despertar for repetitivo, a origem talvez se encontre nas relações pais/filhos ou no hábito que se adquire. O bebê é uma “esponja” que não sabe falar, mas em compensação sabe muito bem detectar a angústia dos pais.

É preciso reconhecer também que a criança aprende a dormir, e se adormeceu em determinadas condições (no carrinho, no seio materno, sendo embalada nos braços dos pais, na cama da mamãe e do papai, na voltinha de carro à noite) pode acordar no meio da noite para retomar esse ritual. Atenção!

Distúrbios do sono

Entre os distúrbios do sono em crianças, que são consequências da imaturidade do sono relatadas acima, um dos que costuma assustar os pais é o terror noturno, no qual a criança acorda em pânico, confusa e, geralmente, aos prantos. O terror noturno costuma acontecer sempre no mesmo horário, após o mesmo intervalo de tempo entre pegar no sono e despertar em pânico.

• até 4 anos isso se dá devido à imaturidade do sono e costuma desaparecer sozinho;

• dos 4 aos 7 anos uma dica é acordar as crianças alguns minutos antes dos episódios e depois deixar que elas durmam normalmente, já que os episódios ocorrem sempre na mesma hora.

Não se esqueçam de SEMPRE seguirem a orientação do pediatra de confiança de vocês!

Outro distúrbio do sono em crianças que pode atrapalhar a noites das crianças é o sonambulismo: as crianças podem falar e andar pela casa. O problema se agrava se a criança consegue abrir portas e sair de casa. Logo, o alerta fica em tornar o ambiente doméstico seguro, trancando portas e janelas, evitando acesso a escadas e a tudo que possa colocar a criança em risco. Quanto a acordar a criança, a orientação indicada é para que os pais tentem levá-la para a cama sem despertá-la, uma vez que ela vai acordar desorientada e agitada, podendo se assustar por não saber nem onde está e nem o que está fazendo.

Já os pesadelos são sonhos assustadores e acordam a criança, fazem-na chorar, tremer e correr para a cama dos pais. Os pesadelos exigem conforto. Os pais devem acalmá-la, até que se sinta segura e volte a adormecer. Essa perturbação permite à criança libertar tensões emocionais. Uma criança com idade inferior a cinco anos não consegue perceber que o sonho não é real. Por esse motivo, só tente acalmar e proteger seu filho.

A enurese noturna, o famoso “xixi” na cama, também é outro distúrbio do sono em crianças bastante comum. A maioria dos casos acontece porque a mãe tira a fralda do bebê muito cedo – em geral o “desfraldamento” começa por volta de um ano e meio de idade, mas nem todas as crianças estão prontas para fazê-lo, isto é, não têm controle sobre a vontade de urinar. A mãe deve considerar o momento de tirar a fralda quando o pequeno já sabe avisar que precisa ir ao banheiro, lembrando, novamente, que cada criança é um ser único!

Os pais são “intérpretes” dos sinais dos seus filhos, logo devem usar a criatividade e fazer com que seus filhos reencontrem o sono saudável, já que não existem fórmulas mágicas!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + dois =