imagem-nantu

A febre de Chikungunya é uma doença viral causada pelo mosquito Aedes Albopictus, que tem um quadro clínico e de transmissão muito semelhantes aos da dengue.

Embora seja causada por um mosquito com características diferentes do mosquito da dengue, os sintomas são bem parecidos e aparecem de uma maneira repentina: dor de cabeça, febre alta, dores no corpo e nas articulações, mal estar geral, manchas pelo corpo e inflamação nas conjuntivas. Não há o quadro hemorrágico e nem uma gravidade maior como a dengue, porém, os sintomas, que surgem em até no máximo 07 dias, são bastante desconfortantes por um período longo, e podem até incapacitar os movimentos de uma pessoa devido à grande inflamação nas articulações e presença de dor.

Esta doença, que começou no continente asiático e europeu, tem migrado para os países latino americanos, e cada vez mais contaminando as pessoas.

No Brasil, temos vários surtos da doença: até o momento, o Ministério da Saúde confirmava 79 casos da doença, e destes, a maior parte na Bahia, em Feira de Santana. Em São Paulo, os casos chegavam a 11. O mais assustador deste fato é que nenhum destes pacientes viajou por algum dos países ou regiões onde a doença mais se proliferou.

A transmissão ocorre com a picada de um mosquito contaminado pelo vírus através do sangue. Logo após a contaminação, os primeiros sintomas começam a aparecer, e o que é pior, sem um período certo para acabar.

Em algumas pessoas, o sintoma mais desconfortante, que é a dor intensa nas articulações, pode persistir por semanas, e até meses após o fim do quadro de febre e sintomas semelhantes aos da gripe. Para isso, são utilizados analgésicos e anti-inflamatórios, caracterizando então um tratamento sintomático. Ainda não se tem uma vacina para a doença.
Dependendo da intensidade deste quadro inflamatório, podem ser necessárias a terapia com anti-inflamatórios e fisioterapia por um período prolongado.

O diagnóstico se faz pelos sintomas clínicos e exames laboratoriais, e o médico deverá realizar o diagnóstico diferencial com a dengue. De fato, o principal sintoma característico desta doença é a forte dor nas articulações.

As medidas de prevenção são as mesmas para a erradicação da dengue e impedimento da proliferação do mosquito, em especial nos ambientes e nos domicílios.

Mais uma vez, a participação da população para se evitar outros surtos, é extremamente importante e eficaz. A notificação da doença aos órgãos competentes, logo após o diagnóstico, além de ser importante, é também obrigatória.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 + onze =