o-impetigo-nantu-consultoriaO impetigo, chamado popularmente de impinge, é uma infecção bacteriana da pele, que acomete preferencialmente as crianças entre 2 e 5 anos, apesar de também poder surgir em adultos. O impetigo é uma doença contagiosa, que surge com mais frequência nos meses quentes de verão.

Podem ser causados por dois tipos de bactérias: Streptococcus pyogenes ou Staphylococcus aureus.

Essas duas bactérias costumam viver em nossa pele sem nos causar nenhum dano. Entretanto, através de uma pequena ferida, corte ou mesmo de uma picada de mosquito, elas podem alcançar camadas internas da pele e provocar infecção.

A contaminação por essas bactérias costuma se dar pelo contato direto de pele com pele, porém, também pode ocorrer através de roupas, toalhas e até brinquedos nos casos de crianças.

Algumas pessoas, após se contaminarem com essas bactérias, podem armazená-las na cavidade nasal, tornando sua eliminação definitiva difícil, permanecendo, assim, colonizados por muito tempo. Mesmo que a bactéria seja eliminada da pele, basta manipularmos o nariz com as mão para nos contaminarmos novamente.

Existem 3 formas de impetigo: impetigo comum, impetigo bolhoso e ectima.

1) O impetigo comum é a forma mais comum. O quadro geralmente se inicia com pequenas pápulas vermelhas, semelhantes a picadas de mosquito, que, entretanto, evoluem rapidamente para pequenas pústulas (lesões com pus). Estas pústulas estouram e formam leões crostosas com coloração dourada ou cor de mel. Este processo costuma durar uma semana e as lesões atacam preferencialmente a face e/ou o cabeça, mas também podem surgir em braços e pernas.

Com o tempo as crostas desaparecem, deixando pequenas marcas vermelhas que desaparecem a longo prazo sem deixar cicatriz.

É importante no caso das crianças evitar que elas encostem nas feridas, pois dessa forma poderão levar as bactérias para outros locais por meio dos próprios dedinhos.

2) O impetigo bolhoso é causado apenas pela bactéria Staphylococcus aureus, que é capaz de produzir toxinas que causam descolamento da epiderme (camada mais superficial da pele), favorecendo o aparecimento de bolhas.

O impetigo bolhoso costuma aparecer nos membros superiores e inferiores e surge em nádegas e tronco com mais frequência que no impetigo comum. O impetigo bolhoso não costuma acometer a face.

No impetigo bolhoso pode haver febre e outros sintomas de infecção, como mal estar e perda do apetite. As lesões também costumam curar sem deixas sequelas.

3) A ectima é a forma mais grave de impetigo, pois acomete camadas mais profundas da pele. Geralmente são lesões de impetigo que evoluem para a formação de úlceras na pele que podem drenar pus. Essas úlceras costumam evoluir para crostas grossas e amareladas, com margem avermelhadas, que curam-se lentamente, deixando cicatrizes. Não é comum haver febre no ectima.

Qualquer uma das três apresentações do impetigo podem complicar e evoluir para febre reumática ou glomerulonefrite. Outras complicações comuns são a evolução das lesões para celulite ou erisipela e infecções de pele mais graves.

O impetigo não costuma ser uma infecção grave e muitas vezes cura-se sozinho. Entretanto, o tratamento com antibiótico costuma ser indicado para diminuir a chance de contaminação de outras pessoas, acelerar a resolução das lesões e diminuir os riscos de complicações.

Lembramos que o diagnóstico e tratamento deve ser realizado e prescrito pelo medico. A auto-medicação pode agravar o quadro e prejudicar o tratamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 − três =