b942e66069e6bf7fe509c51cbde70fa0A gonorreia é uma DST (Doença Sexualmente Transmissível), causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae, conhecida como gonococo, podendo ser transmitida por contato oral, anal ou vaginal. Os seja, qualquer indivíduo que tenha qualquer prática sexual sem proteção pode adquirir a doença.

Vem ocorrendo um surto da doença no Reino Unido, desde 2014, onde a doença já é nomeada de supergonorreia.

Este surto acontece por múltiplos fatos, mas o principal é que o tratamento da gonorreia está sendo realizado de forma errada, criando uma real possibilidade da mesma se tornar uma doença incurável. As farmácias estão comercializando medicações isoladas, aumentando assim o risco de resistência aos antibióticos. A combinação da Azitromicina e Cefriaxona são fundamentais para tratar a doença, mas o uso isolado e indevido da Azitromicina, vem causando resistência à mesma.

No Brasil, já há um alerta para o aumento do número de casos também, assim como está sendo no caso da sífilis também.

Acredita-se que, entre os infectados, cerca de um a cada dez homens heterossexuais e mais de três quartos das mulheres e dos homens homossexuais com a prática sexual ativa, não apresentam sintomas, mas estão contaminados.

Alguns dos principais fatores de risco para se contrair a doença são: múltiplos parceiros, possuir histórico prévio de qualquer infecção sexualmente transmissível, não usar preservativo durante o ato sexual, uso abusivo de álcool e outras drogas, que favorecem um sexo desprotegido.

Na maioria dos casos, a gonorreia passa desapercebida, mas pode apresentar sintomas importantes que incluem: secreção amarelada, esverdeada nos órgãos genitais com odor forte, dor e ardência ao urinar, pode aparecer sangramento ao urinar e nos homens pode ocorrer inchaço dos testículos. Nas mulheres pode ocorrer sangramento vaginal fora do período menstrual e dor em baixo ventre.

Em casos mais avançados, a gonorreia pode surgir em outros locais:

– No reto: causa coceira, secreção com pus e sangramento.

– Nos olhos: dor e sensibilidade a luz, presença de secreção com pus.

– Na garganta: dor e dificuldade para engolir e presença de placas amareladas na garganta, pus.

– Nas articulações: pode ocorrer dor, inchaço em algumas articulações e também calor nas mesmas.

O tratamento visa curar a infecção e interromper a cadeia de transmissão da doença. É de suma importância identificar todos os contatos sexuais da pessoa contaminada para poder trata-los também.

Nunca se auto medique e também não interrompa o tratamento, pois é desta forma que se cria resistência aos antibióticos.

A gonorreia quando não tratada, pode acarretar em várias consequências ruins, por exemplo a infertilidade, risco maior de adquirir HIV, septicemia (infecção generalizada) entre outras.

A prevenção é nossa maior aliada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × três =