Férias escolares X Acidentes domésticos: atenção redobrada

Em época das férias escolares, a tendência é que as crianças fiquem mais tempo em casa e, com isso, aumente o risco de acidentes domésticos, portanto, eis alguns alertas!

Nossos filhos estão constantemente expostos ao risco de acidentes, seja pela sua própria condição de imaturidade, física e emocional, seja pela falta de uma estrutura mais adaptada à sua idade no ambiente em que convivem.

As crianças pequenas não têm capacidade para avaliar o perigo, pois qualquer objeto que encontram em casa pode transformar-se num brinquedo muito interessante. Tão interessante que chega a nos dar frio na barriga!
Botões, tampas e rolhas de garrafas, moedas, baterias de controle remoto, pregos pequenos, parafusos e até brinquedos com peças pequenas são uma atração irresistível para os pimpolhos, que gostam de levar tudo à boca. E consistem em um grande perigo, pois as crianças podem engasgar-se e até sufocar. Atenção!
Uma observação curiosa levantada por inúmeras pesquisas realizadas na área de acidentes domésticos e primeiros socorros mostra que a maioria dos acidentes acontece na presença da mãe, pois o comportamento das crianças costuma mudar muito na presença materna – muitas vezes as crianças querem chamar a atenção da mãe que, em geral, também está ocupada com outros afazeres domésticos ou com seu outro filho, geralmente mais novo.

Um alerta a ser dado: uma em cada dez crianças já sofreu algum tipo de acidente no domicílio, na escola ou em ambientes de lazer. Uma estatística de dar medo, não?
As quedas são a principal causa de acidentes domésticos com crianças, seguidas dos ferimentos por cortes, depois as queimaduras e, no final da lista, as intoxicações e afogamentos. Nenhuma dessas é melhor ou pior que a outra, a gravidade depende de vários fatores, assim logo voltamos a falar de prevenção, pois sempre será nossa aliada!

Atitudes que podem salvar vidas

Não se limite a proibir as crianças de fazerem isso ou aquilo, devemos procurar ensiná-los e alertá-los para os riscos que certos atos envolvem, para que eles possam desenvolver a noção do que é o perigo e do que são comportamentos perigosos. Mesmo quando as crianças são pequenas e a explicação requer muita paciência.

E, sobretudo, dê o exemplo: as crianças imitam os adultos.
Sempre que necessário, explique à criança por que é que certas “coisas” são permitidas aos adultos fazerem e às crianças não, apontando razões como a idade, capacidade, responsabilidade, segurança, etc. Não use mentiras, pois a criança logo descobrirá e não confiará mais nas suas explicações.

Outro ponto importante é a prevenção nas escolas, berçários e afins, pois os pais têm obrigação de conhecer o ambiente onde seu filho ficará por um período de tempo, seja meio período ou integral. E verificar se existem medidas de proteção às crianças, em todos os sentidos: higiene, equipe treinada e qualificada para prestar socorro imediato a seu filho em caso de emergência, saber se o número de funcionários é adequado para o número de crianças que estará sob a sua supervisão, espaço físico e medidas de proteção.

Enfim, melhor pecar pelo excesso!

Cuidados com medicamentos
Todos os medicamentos devem ser guardados fora do alcance das crianças, em lugares altos e, de preferência, em caixas bem fechadas;
Não tome nem dê medicamentos sem orientação médica;
Não tome remédio na frente das crianças, pois os pequenos tendem a imitá-la(o);
Cuidado com remédios de uso infantil e de adulto com embalagens muito parecidas. Erros de identificação podem causar intoxicações graves e, às vezes, fatais.
Medicamentos com prazo de validade vencida devem ser descartados, jogue fora os medicamentos usados que já estejam abertos ( exemplo: resto de antibiótico líquido).

Cuidados com escadas
As escadas devem ter um corrimão de apoio e o piso não deve ser liso (escorregadio);
Se há crianças pequenas, principalmente se estão na fase de engatinhar ou começar a andar, coloque proteções e barreiras (portões) em todos os acessos da casa às escadas;
Não se esqueça de fechar as proteções e barreiras dos acessos às escadas depois de passar. Um portão mal fechado é como se não existisse. Atenção!

Cuidados com janelas e varandas
Coloque grades ou redes de proteção em todas as janelas e varandas. São as únicas formas de evitar acidentes graves em apartamentos. Uma porta ou uma janela aberta representa um grande perigo. Há muitas quedas de crianças em consequência de janelas e portas abertas. Todo cuidado é pouco!

Cuidados com piscinas, lagos, lagoas e até na praia
Nunca deixe a criança sozinha perto de uma piscina, mesmo que esta seja própria para ela;
Nunca deixe uma criança sozinha na piscina, seja em que circunstância for. Muitos afogamentos de crianças até aos 4 anos ocorrem porque os adultos se ausentam por “um minuto”, para atender ao telefone, buscar o lanche, uma cerveja, etc.
Esteja atento às brincadeiras das crianças na água;
Coloque boias de braço (certifiquem-se de que estejam bem cheias) ou coletes do tipo salva-vidas às crianças que não sabem nadar, mesmo quando elas estão a brincar ao pé da piscina. Se escorregarem e caírem para dentro da água estarão mais protegidas. Importante: As boias NÃO são certeza de segurança, logo “cada criança precisa de um par de olhos de adulto (sóbrio) para lhe cuidar”.
Se há piscina em casa, coloque uma vedação ou tela de proteção à volta, de forma a impedir que a criança tenha acesso à água;
Quem for tomar conta da criança obrigatoriamente deve saber nadar!

Cuidados na cozinha
Não deixe crianças sozinhas na cozinha;
Guarde facas e objetos cortantes em locais pouco acessíveis;
Vire os cabos das panelas para o interior do fogão, para evitar que as crianças tentem pegá-los;
Guarde bem os fósforos, pois as crianças não têm medo do fogo e certas brincadeiras podem provocar incêndios;
Torradeiras, bules, garrafas térmicas e outros equipamentos devem ser mantidos fora do alcance das crianças, principalmente se estiverem cheios com líquido quente;
Não cozinhe com a criança no colo, é um perigo!

Cuidados com produtos de limpeza e outros produtos tóxicos
Seja na cozinha, dispensa ou em qualquer outra divisão da casa ou no jardim, guarde esses produtos em locais inacessíveis a crianças;
Há fechos e protetores (inclusive cadeados) que impedem a abertura de armários e gavetas da cozinha ou de outros locais;
Produtos tóxicos, muitas vezes até inflamáveis, e a sua ingestão ou inalação pode ter consequências graves ou até fatais;
Nunca coloque detergentes, inseticidas ou pesticidas em garrafas de água de plástico já usadas, porque as crianças podem ingerir o produto pensando ser água, resultando num acidente com grande gravidade. Muito perigoso!

Cuidados com eletricidade e tomadas
Se possível, todas as tomadas devem ter ligação terra;
Instale protetores adequados em todas as tomadas da casa, para evitar choques eléctricos, mesmo desta forma a criança terá a curiosidade e tentará removê-los. Fique de olho!
Esteja sempre alerta, pois uma tomada tem uma atração especial para as crianças que estão na fase de engatinhar ou até um pouco mais crescidas, parecendo os locais ideais para tentarem enfiar os dedos e os mais variados objetos.

Cuidados com objetos pontiagudos ou cortantes
Facas, tesouras, chaves-de-fendas e outros objectos perfuradores nunca devem ser dados às crianças para elas brincarem. Mantenha esses objetos em locais fechados e a que a criança não tenha acesso.
Por incrível que pareça um objeto deste pode até matar!

Cuidados com a tábua e o ferro de engomar
Nunca deixe o ferro ligado com o fio desenrolado e ao alcance das crianças. Além da alta temperatura, é perigoso pelo seu peso e pela ligação à eletricidade;
Evite o uso de tábuas de passar roupa que possam ser puxadas para baixo. O acidente é geralmente muito grave!
Cuidados com armas
Mesmo com a lei do desarmamento, sabemos que muitos são os que mantêm armas em casa. A discussão aqui é prevenção, logo se tiver, arrume-as ou guarde-as longe do alcance das crianças;
Nunca tenha as armas carregadas em casa;
Nunca deixe as munições junto à arma. Guarde-as em local seguro e inacessível às crianças.

Outros riscos importantes
Nunca deixe bebidas alcoólicas ao alcance de crianças;
Anote os números dos telefones do seu pediatra, do hospital, dos centros de envenenamento, do SAMU e Bombeiros (por exemplo: no telefone mais usado da casa, na geladeira)

CEATOX: 0800-0148110 para orientar sobre o atendimento em casos de envenenamento ou intoxicação – funciona 24 horas.
SAMU: 192
Bombeiros: 193

1- Leia atentamente os rótulos das embalagens antes de usar qualquer produto;

2- Ensine as crianças a não aceitarem bebidas, comida, doces que lhes sejam oferecidos por adultos que não conhecem;

3- Não deixe que crianças com idade inferior a 10 anos andem sozinhas de elevador;

4- Sacos plásticos, fios de telefone soltos, almofadas e travesseiros altos e fofos podem asfixiar ou estrangular;

5- Não permita que as crianças mais velhas fiquem brincando com as menores sozinhas, pois esses objetos transformam-se em “armas” nas brincadeiras;

6- Não permita que a criança mastigue goma de mascar ou comam debruçados, pois isso favorece os engasgos;

7- Não ponha cordões à volta do pescoço da criança para segurar as chupetas e nem correntinhas, quando são pequenas: pode levar ao enforcamento!

8- Não beba líquidos quentes com o seu filho no colo. Mantenha os líquidos quentes (café, chá, etc.) fora do alcance dele, pois um movimento brusco por parte da criança pode queimá-la!

9- Proteja os cantos das mesas e de outros móveis que possam significar perigo para aos pequenos.
Comprometa-se com a proteção do seu pimpolho, pratique a segurança por meio da prevenção!

Boas férias!

Voltar