torcicolo 3Quem nunca teve, de maneira súbita, uma sensação de torção no pescoço após algum movimento brusco ou mal realizado, ou de repente, já acordou com a sensação de estar “travado”? Uma das mais comuns formas de lesão nos músculos na região do pescoço e das terminações nervosas é o torcicolo, que na verdade, atinge um dos maiores músculos da região do pescoço e com um nome bastante complicado: esternocleidomastóideo.

Uma lesão neste músculo, mesmo que leve e benigna, pode causar dores e limitação de movimentos terríveis, que só quem já teve, sabe do que estamos falando. O endurecimento da musculatura da região e o desalinhamento dos ombros também são outras características de que algo anormal ocorreu no local.

Na verdade, o torcicolo pode ser ocasionado por várias outras razões, mas em geral, a maior parte delas inclui o posicionamento inadequado do corpo nas atividades de nosso dia a dia, como ao trabalhar, abaixar e levantar, digitar, atender o telefone, e por aí vai.

Podemos também já acordar com a dor, e neste caso, geralmente, nossa falha foi devido a um posicionamento inadequado ao deitar e dormir, e com o travesseiro em especial.

Ou seja, as medidas para se prevenir o torcicolo incluem muito mais aquelas relacionadas a postura e hábitos corporais do que outras que também podem surgir, como por exemplo, após um acidente ou uma queda.

A falta de elasticidade da musculatura, associada a uma vida sedentária também pode colaborar bastante para o aparecimento do problema.

O fato é que, quando ele aparece…..que dor! Não conseguimos virar o pescoço para um ou ambos os lados, sentimos dor no pescoço, na coluna cervical, e em muitos casos, até na cabeça, devido ao comprometimento do sistema nervoso nos casos mais severos.

Bem, e neste caso, o que fazer então?

É importante deixarmos aqui a recomendação de não se adotar a auto medicação, pois vários outros problemas podem acontecer, agravar o que já está ocorrendo e até mesmo desencadear efeitos não desejáveis.

Procurar o médico ortopedista, neste caso, deve ser sempre a primeira opção. Ele irá avaliar a extensão e a gravidade da lesão, e o comprometimento do local. Ele também irá verificar a necessidade em se tomar medicamentos antiinflamatórios e/ou analgésicos, e indicar outras possíveis medidas terapêuticas, como massagens, compressas, aplicações de frio ou calor, acupuntura, RPG, uso de colar cervical dentre outros.

No que tange ás medidas terapêuticas, alertamos para o cuidado a ser tomado, pois infelizmente, hoje existem várias pessoas não treinadas e clínicas nem sempre habilitadas a realizar o tratamento correto, e que podem até piorar o problema existente. Por isso, sempre avalie e procure certificar-se do registro destes locais e destes profissionais nos órgãos reguladores competentes.

Citamos aqui, algumas medidas preventivas:
– deitar-se com o travesseiro sempre apoiado abaixo da cabeça, de modo que as orelhas sempre fiquem na mesma altura do próprio corpo, no mesmo alinhamento da coluna cervical;
– faça exercícios de extensão do pescoço várias vezes ao longo do dia, de modo a relaxar e alongar a musculatura da região;
– cuidado com a sua posição ao trabalhar, e em especial ao digitar: a mesa e a tela do computador devem sempre ficar na altura dos olhos;
– não usar o telefone apoiado entre o pescoço e a cabeça, mas utilize aparelhos portáteis, e evite esta posição;
– não durma com a cabeça mal apoiada no sofá ou cercada de várias almofadas….a posição correta é a mesma em que se deve dormir com o travesseiro na cama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × um =