thumbFebre, mal estar, pintinhas vermelhas pelo corpo e pequenas manchas brancas dentro da boca…..hummm…..pode ser sarampo!

O sarampo é uma doença causada por vírus, extremamente contagiosa e que afeta principalmente as crianças. É transmitido pela boca, nariz e garganta das pessoas infectadas, através da tosse, espirros e gotículas de saliva, e em até 15 dias após a contaminação.

É prevenível pela vacinação, desde que corretamente tomada nos intervalos e faixa etária recomendados pelos órgãos de saúde. Já após a contaminação pela doença, pouco se tem a fazer, pois não existe um tratamento específico para o sarampo. A medicação que pode ser prescrita pelo médico compreende o uso de sintomáticos, isto é, remédios usados para o alívio dos sintomas desagradáveis causados pela doença. Em casos mais graves e que acomete pessoas com o sistema imunológico mais debilitado, complicações mais severas podem acontecer, como pneumonia e infecções em vários órgãos do corpo.

Recentemente, um surto de sarampo aconteceu em Teresina – Piauí, e também no Ceará, Paraíba e Pernambuco. É importante alertar o perigo que muitas vezes somos expostos pela chamada “importação” dos casos”, isto é, a entrada da doença onde não há, e através de pessoas infectadas vindas de outras regiões. Nestes casos, as autoridades de saúde podem desenvolver esquemas especiais de vacinação, na tentativa de efetuar a cobertura vacinal para aqueles que nunca foram vacinados, e também para as crianças.

O calendário da vacina contra o sarampo é simples, e tem se mostrado altamente eficaz no mundo todo:
– em crianças de até seis anos de idade: aos 12 e 15 meses;
– em crianças maiores de sete anos e adolescentes: 01 dose na primeira visita e outra dois meses após;
– em adultos com idade entre 20 e 59 anos: uma dose única, ou em situações recomendadas pelas autoridades sanitárias;
– em puérperas (mulheres que acabaram de dar à luz): tomar a vacina na maternidade ou na primeira visita que fizer ao serviço de saúde após o parto, em dose única.

Sinais e sintomas de alerta, que podem caracterizar o sarampo:
– febre;
– mal estar e perda do apetite;
– coriza e tosse;
– pequenas manchas brancas na parte interna das bochecas;
– conjuntivite;
– nos casos complicados, podem ocorrer otite, pneumonia e infecções no cérebro.

E o que fazer se meu filho apresentar estes sinais e sintomas?

– Levá-lo ao médico imediatamente, e independentemente da criança ter sido vacinada ou não;
– Evitar contato com outras pessoas, em especial, crianças e idosos;

Como prevenir?
Lembre-se: ter a carteira de vacinação em dia é essencial para a prevenção não só do sarampo, mas de inúmeras outras doenças graves. Portanto, mantenha-se sempre atenta!

É importante também falar aqui que, algumas crianças, após terem tomado a vacina contra o sarampo, podem apresentar alguns sintomas citados aqui, porém, de uma forma bem mais leve, e que faz parte das reações esperadas por algumas crianças. De qualquer forma, levá-la ao pediatra é a atitude mais segura para o diagnóstico e recomendação de medidas adequadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 + sete =