Aedes_aegypti_imagemA Dengue voltou com tudo

Tivemos um recorde histórico no número de casos de dengue no país e no estado de São Paulo, em 2013, mas embora ainda estejamos no início do quarto mês de 2014, os dados de casos da doença já deixam as autoridades em alerta.

Um exemplo é o bairro do Jaguaré, que já vive o surto da doença. Em três meses, apresentou 169 casos da mesma. E assim seguem outros bairros, como por exemplo, a Lapa.

A Dengue é uma doença viral que pode levar à morte e ainda não há vacina como método de prevenção, logo são necessárias algumas atitudes para minimizar os riscos de contrair a doença.

Existem quatro tipos de Dengue (quatro sorotipos) e a doença pode evoluir para Dengue hemorrágica, levando ao sangramento intenso e queda brusca da pressão arterial, potencializando o risco de morte.

Quando uma pessoa adquire um tipo de dengue, ela cria anticorpos contra “esse” tipo de Dengue, mas ainda pode estar vulnerável a mais três. Conforme for adquirindo a Dengue pela segunda ou terceira vez, o risco da mesma se tornar hemorrágica vai ficando maior, logo quem já teve a doença, deve redobrar os cuidados para não ser picado pelo mosquito transmissor.

A transmissão da doença se dá pela picada do mosquito Aedes Aegypti infectado. Este se reproduz em água parada e limpa.

Os principais sintomas da Dengue são: febre alta, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dor muscular e nas articulações e indisposição. Podem surgir enjoo, vômito e outros sintomas não muito específicos.

Caso haja suspeita de Dengue, NÃO tome nenhum remédio que contenha ácido acetilsalicílico (Aspirina) e também evite anti-inflamatórios como ibuprofeno, diclofenaco, piroxican, pois essas medicações podem aumentar os riscos de sangramento.

Não se auto-medique!

Prevenção:

– Evite acúmulo de água limpa parada – não deixe no quintal ou varanda vasos de plantas com pratos embaixo. Retire-os ou coloque areia nos mesmos. Cuidado com as poças d’água. Onde houver água parada, pode ser usada água sanitária no local. Evite entulhos, garrafas e afins onde podem tomar água da chuva;

– Atenção aos ralos pouco usados em banheiros, cozinhas, lavanderias, pois pode ficar água parada nos mesmos e se tornarem foco de dengue. Jogue desinfetante regularmente nos ralos;

– Se possível coloque tela nas janelas e portas, mas tome cuidado para não deixar “preso” nenhum mosquito da dengue dentro de casa;

– As latas de lixo devem ser sempre bem tampadas, evitando assim que fique água parada entre os sacos de lixo;

– Faça uso de inseticida com muito cuidado se tiver crianças e/ou pessoas alérgicas ou com problemas respiratórios em casa. Leia no rótulo se o inseticida confere proteção contra o mosquito da dengue. Não é 100% eficaz, mas ajuda;

– Podem ser usados repelentes também, desde que não haja contraindicações médicas e nem alergia ao produto. Fique atento ao tempo de reaplicação do mesmo para que haja eficácia;

– Usar vitaminas do complexo B pode mudar o odor que o nosso organismo exala e confundir o mosquito, funcionando assim como repelente, mas consulte um médico de sua confiança para saber se é o ideal para sua saúde fazer uso desse suplemento vitamínico.

Enfim, agora que você sabe que a Dengue, muitas vezes, está nos rondando. Faça sua parte e ajude a divulgar os métodos de prevenção. Seja também um “fiscal” dos seus vizinhos, caso não queira ficar doente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis + dezoito =